English     Español
 
Fundação Ruben Beta > FRB-Par  > VARIG

 > VPTA

 > VPSC

 > Varig Cargo/Varig Log, Varig VEM, Pluna Uruguay

 > Rio Sul, Nordeste, Rotatur

 > SATA, Tropical, Amadeus Brasil, Varig Travel, Ícaro Brasil

 

A história da VARIG está intimamente ligada com voos regionais, afinal foi com voos regionais no estado do Rio Grande do Sul que a VARIG e a aviação comercial brasileira iniciaram em 1927. Nos anos 40, a VARIG deixou de fazer somente voos regionais e passou a ligar as capitais dos estados, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.
Nos anos 50 a VARIG iniciou voos internacionais e chegou ao Norte e Nordeste do Brasil. Na década de 60 a VARIG se tornou a maior companhia aérea da América Latina e passou a focar mais em voos internacionais e rotas domésticas ligando grandes centros urbanos. Porém a empresa não se esqueceu das rotas regionais.
Em parceria com a Top Táxi Aéreo, a VARIG criou uma subsidiária regional denominada Rio Sul Linhas Aéreas, no dia 24 de agosto de 1976. A Rio Sul ficou responsável por realizar voos regionais nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro e parte dos estados de São Paulo e Espírito Santo.
A primeira rota da Rio Sul foi exatamente a mesma rota inaugural da VARIG em 1927. O primeiro voo aconteceu no dia 9 de setembro de 1976 entre Porto Alegre, Rio Grande e Pelotas. A frota da Rio Sul era composta de oito Piper Navajo e sete Embraer EMB-110, além de jatos executivos.

Década de 70

Frota:
7xEmbraer EMB-110 (16 assentos)
3xPiper PA-31 Navajo (7 assentos)

TOTAL: 10

Destinos:

 

Em maio de 1982 a Rio Sul recebeu os dois primeiros turbo-hélice Fokker F-27, que permitiram a companhia a expandir suas operações e a oferta de assentos. Em 1986 a Rio Sul incorporou os dois primeiros Embraer EMB-120, que começaram a substituir os EMB-110. Além de possuírem maior capacidade de passageiros, os EMB-120 incorporavam avanços tecnológicos, tinham cabine pressurizada e podiam voar mais alto, reduzindo as turbulências.

Década de 80

Frota:
6xEmbraer EMB-110
4xEmbraer EMB-120
6xFokker F-27

TOTAL: 16

Destinos:

 

 

Embraer EMB-120 "Brasília"

O primeiro Embraer EMB-120 chegou na Rio Sul em fevereiro de 1988. O EMB-120 foi escolhido para ser o substituto do EMB-110 e oferecia diversas vantagens em relação ao EMB-110 como maior capacidade de passageiros, maior alcance, maior velocidade e cabine pressurizada. O EMB-120 era capaz de voar na mesma altitude dos jatos, resultando em voos com menos turbulência e economia de combustível.

Comprimento: 20,07 m
Envergadura: 19,78 m
Altura: 6,35 m

Peso máximo decolagem: 11 toneladas
Capacidade de combustível: 3280 litros
Motores:
2x Pratt & Whitney PW118B
Velocidade de cruzeiro: 500
 km/h
Altitude de Cruzeiro: 9 mil metros
Pista mínima para decolagem: 1,42 km
Alcance: 1500 km
Passageiros: 30

 

Fokker F-27

Em maio de 1982 a Rio Sul recebeu os seus dois primeiros Fokker F-27 da versão Mk200. O terceiro chegou em abril e o quarto em setembro. Com o F-27-200, a Rio Sul pode aumentar a oferta de assentos nas rotas de maior demanda e deixar os EMB-110 livres para fazerem novas rotas. Com o sucesso do Fokker, a Rio Sul encomendou novas unidades, dessa vez do modelo Mk500 - maiores do que os Mk200. O primeiro F-27-500 chegou em janeiro de 1985. No ano seguinte chegaram mais duas unidades.

Comprimento: 23,56 m / 25,06 m
Envergadura: 29,00 m
Altura: 8,50 m / 8,84 m
Peso máximo de decolagem: 19 toneladas
Motores: 2x Rolls Royce Dark Mk528-7 / Rolls Royce Dark 7 Mk536-7
Capacidade de combustível: 3 mil litros / 5 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 430 km/h
Altitude de cruzeiro: 7 mil metros
Alcance: 2000 km / 1300 km
Passageiros: 40 / 52

 

 

Em 1992 entraram em operação os modernos turbo-hélice Fokker F-50. Também chegaram os primeiros jatos da Rio Sul, os Boeing 737-500. Os B737 trouxeram um novo nível de conforto para os passageiros da Rio Sul. A aeronave era configurada com apenas 108 assentos, se tornando a aeronave mais espaçosa do mercado. Com os novos Fokker 50 e B737-500, a Rio Sul expandiu a sua malha para outras regiões do Brasil como Minas Gerais, Distrito Federal e Bahia.

Com a compra da Nordeste Linhas Aéreas, em 1995, a Rio Sul passou a ser uma das maiores regionais do mundo com uma frota de mais de 30 aeronaves.
A Nordeste Linhas Aéreas foi criada por iniciativa da Transbrasil e do governo da Bahia. A empresa foi fundada em novembro de 1975 com objetivo de operar voos regionais nos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí e parte do Maranhão, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, além da cidade de Brasília. A primeira aeronave foi o Embraer EMB-110. A Nordeste sofreu uma grande transformação em 1995, quando foi comprada pela Rio Sul, subsidiaria da VARIG. A frota da empresa foi renovada com modernas aeronaves EMB-120 e Fokker F-50 e os jato Boeing 737-500. Sob o comando da Rio Sul, a Nordeste ampliou a sua malha para todo o Brasil e passou a atender mais de trinta cidades.

Com o espírito pioneiro da empresa-mãe VARIG, em agosto de 1997, a Rio Sul se torna a primeira companhia do Hemisfério Sul a operar um jato fabricado no país e uma das primeiras do mundo a operar o novo jato da Embraer ERJ-145. Nessa altura, a Rio Sul e Nordeste possuíam quase 50 aeronaves que atendia mais de 60 destinos no Brasil, incluindo a Ponte Aérea Rio – São Paulo, operado em conjunto com a VARIG.

Em 1998 a Rio Sul e a Nordeste apresentaram a sua nova identidade visual, se alinhando com a VARIG.

Década de 90

Frota:

Rio Sul
9xBoeing 737-500
10xEmbraer EMB-120
6xEmbraer ERJ-145
8xFokker F-50

TOTAL: 33

Nordeste
2xBoeing 737-500
6xEmbraer EMB-120
2xFokker F-50
TOTAL: 10

 

Destinos:

 

Fokker F-50


O
Fokker F-50 começou a operar na Rio Sul em abril de 1992. O F-50 é um turbo-hélice moderno lançado na década de 90 com os últimos avanços tecnológicos. Na Rio Sul e na Nordeste, o Fokker F-50 foi selecionado como substituto do Fokker F-27. O novo F-50 era capaz de voar mais longe e mais rápido, além de ser mais silêncioso e econômico.

Comprimento: 25,25 m
Envergadura: 29,00 m
Altura: 8,32 m
Peso máximo de decolagem/pouso: 20 toneladas
Motores:
2x P&W Canada PW125B
Capacidade de combustível: 4 mil litros

Velocidade de cruzeiro:
530 km/h
Altitude de cruzeiro: 7 mil km
Passageiros: 50

Alcance: 2050 km

 

Boeing 737-500


A Rio Sul revolucionou o mercado regional quando trouxe para o Brasil o moderníssimo e confortável Boeing 737-500. Originalmente concebido para 133 assentos, o Boeing 737-500 foi confortávelmente configurado para apenas 108 assentos, se tornando o avião mais confortável do Brasil. Os dois primeiros chegaram em 1992 e passaram a operar para a Rio Sul. Em 1995 a Nordeste também começou a operar com o Boeing 737-500.

Comprimento: 31 m
Envergadura: 28,7 m
Altura: 11,1 m
Peso (vazio): 46 toneladas
Peso máximo de decolagem: 55 toneladas
Motores: 2x CFM56-3C1 (9072kg cada)
Velocidade de cruzeiro: 800 km/h
Alcance: 4400 km
Passageiros: 108 ou 111 ou 120

 

Embraer ERJ-145


A Rio Sul foi a primeira companhia aérea do Hemisfério Sul a operar o novo jato ERJ-145 da Embraer. Com um jato regional, a Rio Sul pode oferecer aos seus passageiros todas as vantagens de um jato em rotas regionais. O primeiro voo do ERJ-145 aconteceu no dia 15 de setembro de 1997 entre Rio de Janeiro e Campinas e depois entre o Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O ERJ-145 possui cabine pressurizada e  equipamentos digitais com a mais avançada tecnologia disponível no mercado. O ERJ-145 fez grande sucesso entre os passageiros, operando até mesmo na movimentada Ponte Aérea  Rio de Janeiro - São Paulo. A aeronave foi apelidada como "Jet Class".

Comprimento: 29,87 m
Envergadura: 20,04 m
Altura: 6,75 m
Peso (vazio): 11 toneladas
Peso máximo de decolagem: 20 toneladas
Motores: 2x Rolls Royce Allison AE3007A
Velocidade de cruzeiro: 833 km/h
Alcance: 2460 km
Passageiros: 50

 

 

Em 2000 a Rio Sul incorporou o Boeing 737-300 para aumentou a oferta de assentos. Emfusão com a VARIG, concluído em 2004.

 

Década de 2000

Frota:

Rio Sul
4xBoeing 737-300
14xBoeing 737-500
3xBoeing 737-700
12xEmbraer ERJ-145

TOTAL: 33

Nordeste
3xBoeing 737-300
4xBoeing 737-500
3xEmbraer ERJ-145
TOTAL: 10

 

Destinos:

 

 


Reportagem Rio Sul - FLAP (clique para abrir)

 


Reportagem Nordeste - FLAP (clique para abrir)

 

 

 

 

PÁGINA INICIAL

História
Anos 20
Anos 30
Anos 40
Anos 50
Anos 60
Anos 70
Anos 80
Anos 90
Anos 2000

 

Aeronaves
Dornier Wal "Atlântico"
Dornier Merkur "Gaúcho"
Klemm L-25
Junkers A-50
Junkers F-13
Messerschmitt 108 "Taiffun"
Messerschmitt M20
Junkers JU52
Fiat G2
De Havilland DH89A
Lockheed Electra I
Nordwyn UC641
Douglas DC-3
Curtiss C-46

Convair 240
Lockheed Super G Constellation
Caravelle 1
Boeing 707-441
Douglas DC-6
Lockheed Electra II
Convair 990A
Douglas DC-8-33
Boeing 707-320
HS-748 "Avro"
Boeing 727-100
Boeing 737-200
Douglas DC-10-30
Airbus A300B4
Boeing 747-200
Boeing 747-300
Boeing 767-200ER
Boeing 737-300
Boeing 767-300ER
MD-11
Boeing 747-400
Boeing 737-700
Boeing 737-800
Boeing 777-200ER
Boeing 757-200

 

Rotas

 

Website
1996
2000
2002
2004
2005

 

Grupo Varig
Fundação Ruben Berta
FRB-PAR
VPSC
Ícaro Brasil
Rio Sul e Nordeste
Varig Cargo e Varig Log
Varig VEM

 

 

Marketing
1927-1969
Anos 70 e 80
Anos 90 e 2000

 

Design

 

Coleções
A bordo
Cartão Postal, Imagens e outros
Imagens das aeronaves
Logotipos & Passagens
Time Table